Dicas de Fonoaudiologia para Disgrafia

MAIS
INFORMAÇÕES
Marcação Fonoaudiologia em Casa
Marcação Equipe da Central
Marcação Central na Mídia
Marcação Tratamentos
Marcação Aparelhos e Equipamentos
Marcação Dicas de Saúde
Marcação Depoimentos Sobre a Central
Marcação Rede de Parceiros
Marcação Perguntas Frequentes
Marcação Pesquisa de Satisfação
Marcação Trabalhe Conosco
ESPAÇO
DO CLIENTE
Para acessar, digite seu email e senha abaixo:
esqueci minha senha
  
Dicas de Fonoaudiologia para Disgrafia
segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014
DICAS DE FONOAUDIOLOGIA PARA DISGRAFIA

Existem crianças que em determinada idade sentem dificuldades maiores do que outras para aprender a escrever. Na fonoaudiologia, esse problema é conhecido tecnicamente como Disgrafia. Isso acontece quando alguém não consegue passar para o papel de forma legível aquilo que pensa. É preciso ter em mente que o portador dessa doença não sofre com problemas cognitivos, pois ela consegue organizar as ideias, a questão está na coordenação da mão e do punho, junto com a devida força que deve ser usada para riscar a folha.

Os profissionais que tratam da Disgrafia definem em dois grupos a doença, mas o sintoma que pode ser diagnosticado em ambos é uma lentidão na hora de escrever e difícil entendimento no que foi posto no caderno, por exemplo. O primeiro está relacionado à Dislexia, enquanto o segundo se refere à Caligrafia.

No caso do disléxico, a criança não consegue fazer a relação entre os sistemas simbólicos e as grafias que representam os sons. Isso, consequentemente, gera incoerência entre o que ela quer dizer com o que foi escrito. Já no caso da Caligrafia o principal prejuízo está na escrita. As principais evidências do problema estão nas formas e nos tamanhos das letras, sendo que a força exercida pelo indivíduo também resulta em problemas de compreensão.

Acompanhando as dicas abaixo, os sintomas podem ser reduzidos com o tempo:

  • A Criança deve receber papeis com linhas bem definidas, a fim de que sabia onde deve ficar o topo da letra e a parte baixa.
  • A frequência na escrita deve ser elevada para que a melhora ocorra gradativamente.
  • Ocasionar situações que possam fazê-la escrever é um bom exercício. Por exemplo, anotar telefone ou fazer lista do supermercado.
  • Evitar de dar broncas quando sua escrita estiver ilegível.
  • Algumas atividades tais como rasgar tiras de jornal; picar pedaços de papel de revista; abrir e fechar as mãos por 20 segundos também são importantes.
  • Deve receber um caderno de caligrafia para fazer ondinhas, risco, círculos, triângulos e tracinhos.

A Central da Fonoaudiologia realiza tratamento para pessoas com Disgrafia. São disponibilizados profissionais que atuam em domicílio. Para agendar uma consulta entre em contato pelo site ou através de nossos telefones.

Pr-avaliao via Telefone