Divertículo de Zenker

Conhecido como divertículo faringoesofágico, o Divertículo de Zenker é um divertículo da mucosa da parede posterior da faringe. Além disso, é considerado o divertículo mais comum do esôfago. Pessoas com 60 anos são as principais vítimas dessa patologia. A queixa dos pacientes com essa enfermidade é a dificuldade em deglutir.

Em fase inicial, os pacientes não apresentam sintomas que possam prejudicá-los. Entretanto, é uma doença que se desenvolve com o passar do tempo. Sendo assim, com o seu crescimento, são apresentados em estados sintomáticos a disfagia alta, tosse intermitente, salivação excessiva, odinofiagia.

A partir do momento em que a bolsa aumenta, o paciente apresenta refluxo gastroesofágico, halitose, mudanças da voz, do retroesternal, disfagia cervical, sons de borbulhamento à deglutição e obstrução respiratória.

Fonoaudiologia para tratamento de Divertículo de Zenker

A esofagomiotomia cervical se faz necessária em casos de tratamento. Com isso, a lesão regride. Em outras situações, deve ser ressecado com grampeador cirúrgico linear, ou por via endoscópica. A miotomia, por sua vez, é utilizada em casos de divertículos menores.

Existe também o tratamento endoscópico, que consiste em abrir a parede posterior do esôfago por meio de um instrumento que ao mesmo tempo corta a parede e faz sutura, sendo formado um canal comum entre a luz esofagiana e o interior do divertículo, conhecido como procedimento de Dohlman.

A Central da Fonoaudiologia dispõe de profissionais que atuam em casa. Para saber mais sobre como é realizado o tratamento contra o Divertículo de Zenker entre em contato com nossos profissionais ou acesso nosso site.

Obrigado pela leitura!
Equipe Central da Fonoaudiologia.

Solicite uma ligação de nosso Atendimento
(inclusive aos fins de semana)